Estatisticas

Barcelos e Vitória disputaram no sábado o derby minhoto com a vitória a pertencer aos vitorianos por 87-90. Um derby intenso, polémico e emotivo. Num jogo marcado pela forte contestação à equipa de arbitragem, 5 jogadores não terminaram o encontro onde foram assinaladas 2 faltas antidesportivas e 5 faltas técnicas.

Todos os ingredientes que um derby deve ter estiveram reunidos na tarde de sábado na Escola Secundária de Barcelos. Bons executantes de ambos os lados e pressão pela classificação com o aliciante do vencedor se isolar no 5º lugar e incerteza quanto ao vencedor final. Inicio equilibrado com o Vitória a realizar a primeira fuga no marcador. À vantagem do Vitória (13-22) respondeu o Barcelos a empatar o encontro a 22 pontos a 1 minuto do final, mas seriam os vitorianos a terminar na frente o 1º período, 22-26, com Ivan Almeida a concluir com um espetacular afundanço após assistência de André Bessa

 

No 2º período a intensidade aumentou. O Vitória mantinha o comando do encontro com uma vantagem que chegou a ser de 9 pontos (29-38) a meio do período. Um minuto depois, falta antidesportiva assinalada a Marco Lancovic seguida de falta técnica ao treinador barcelense permitiam ao Vitória voltar a ganhar uma vantagem na casa da dezena de pontos, que mantiveram até ao intervalo (42-57).

No regresso dos balneários, os vitorianos controlavam o jogo mantendo o Barcelos na casa da dezena de pontos, apesar de por algumas vezes os barcelenses terem reduzido para 5/6 pontos a diferença no marcador. Já perto do final do 3º período, nova falta antidesportiva assinalada, desta vez a Cristiano Silva. O encontro chegava ao decisivo quarto com as equipas separadas por 9 pontos, 61-70.

À medida que o jogo caminhava o final subia de intensidade assim como a contestação à equipa de arbitragem. James Roberts e Eduardo Coelho foram sancionados com faltas técnicas, acabando o americano por ser excluído com a 5ª falta. Aproveitou melhor o Vitória o período conturbado do jogo para se distanciar no marcador, voltando à casa das dezenas de pontos de diferença. Barcelos não conseguia encontrar argumentos para encurtar a desvantagem e nem a saída de Dain Swetalla, também por faltas, fazia abanar a defensa vitoriana. Até que um parcial de 8-0 permitiu ao Basq. Barcelos reduzir a diferença para 6 pontos (77-83) a 1:30m para o final do encontro e a discussão do vencedor estava de novo lançada. Jogava-se o tudo ou nada. Eduardo Coelho colocou o Barcelos a 4 pontos mas André Bessa, da linha de lance livre, repunha a vantagem de 6 pontos. Nos últimos segundo a tensão voltou a subir. Marco Lancovic ainda reduziu a diferença para 3 pontos (85-88), antes da exclusão de Nuno Oliveira por acumulação de faltas. Seguiram-se 2 faltas técnicas ao banco barcelense que colocaram os vitorianos a 5 pontos (85-90), sentenciando a partida. Marco Lancovic fechou a contagem do jogo, fixando o marcador em 87-90.

Ivan Almeida voltou a ser a figura do encontro, registando um duplo-duplo com 29 pontos e 12 ressaltos, bem acompanhado por Charles Swigget com 17 pontos. Pelos barcelenses, a utilização do 5 inicial durante grande parte do tempo resultaram em boas prestações dos seus atletas. Nuno Oliveira foi o melhor marcador com 23 pontos, bem acompanhado por Carlos Fechas (16 pontos e 9 assistências) e Eduardo Coelho (19 pontos)